02/06/2012

Nova era na divulgação mundial do espiritismo


Divaldo Franco e Raymond MoodyJr juntos nos EUA
Inicia-se uma nova era na divulgação mundial do Espiritismo.” Este foi o comentário do renomado médium e orador espírita Divaldo Pereira Franco após o histórico evento organizado pela Sociedade Espírita de Baltimore. Na noite de 16 de março de 2006, o aclamado pesquisador e psiquiatra Dr. Raymond Moody Jr., autor de "A vida depois da vida" e "A luz que vem do além" (São Paulo: Butterfly Editora), proferiu palestra juntamente a Divaldo Pereira Franco na cidade de Baltimore, Estado de Maryland, EUA. O tema geral do evento era “Do Luto `a Esperança”, em que Dr. Raymond Moody discursou sobre o seu livro "Reencontros com entes queridos que partiram", enquanto que Divaldo Franco tratou da "Terapia espírita para os que ficaram".
A Sociedade Espírita de Baltimore idealizou e patrocinou este evento com o objetivo de trazer o consolador prometido ao público americano que tem passado por momentos desafiadores entre a perda de entes queridos nas catástrofes naturais, bem como nas catástrofes provocadas pelo homem, as guerras.
O Dr. Raymond Moody Jr. iniciou sua palestra destacando a importância do pensamento crítico na avaliação das grandes questões da vida. Em seus estudos com a técnica de espelhos, ele propõe uma metodologia de investigação do fenômeno de comunicação com os mortos. Em suas pesquisas, Dr. Moody surpreendeu-se ao verificar que a maioria dos indivíduos estudados relatavam ter tido algum tipo de experiência (que consideraram real) de comunicação com entes queridos que partiram. O próprio Moody Jr. contou sua experiência pessoal com a sua avó paterna. Dr. Moody também fez observações sobre os seus 30 anos de estudos na linha de pesquisa sobre a vida após a morte. Apesar disto, afirmou que não considera suas pesquisas como provas científicas definitivas da existência da vida após a morte.
O clímax de sua palestra foi quando ele declara que há necessidade de novas metodologias científicas para investigação dessas questões profundas da vida. Finalizou sua palestra num clima otimista afirmando acreditar que “no século vinte e um, teremos de fato avanços genuínos na direção de comprovações científicas das questões essenciais humanas, entre elas a da continuidade da vida após a morte".
Em seguida, o brilhante médium e orador Divaldo Pereira Franco, assessorado pelo excelente intérprete Daniel Benjamin (membro-diretor da Allan Kardec Educational Society), discursou sobre as questões da continuidade da vida desde tempos remotos da humanidade, do período do homem primitivo através dos desenhos em rochas. Após um breve histórico sobre a crença universal da humanidade em relação à continuidade da vida após a morte, Divaldo trouxe a terapia espírita para os que sofrem a partida dos entes queridos pela morte. Descreveu com jovialidade, carisma e linguagem universalista, casos de pessoas que eram céticas e que após a comunicação dos entes queridos, via mediunidade, obtiveram o consolo e a certeza de que a vida continua. O ponto culminante de sua palestra foi o relato da história verídica do jovem que foi morto pelo amigo, enquanto brincava de roleta russa, e que se comunicou via a psicografia do querido Francisco Cândido Xavier, a fim de testemunhar em foro judicial pelo réu, seu amigo, afirmando que este não era culpado de sua morte. Tal testemunho foi aceito pelo juiz da côrte.
Aproximadamente, setenta por cento das 200 pessoas presentes eram americanos que ficaram encantados com a abordagem sábia de Divaldo Franco e a sua eloqüente e consoladora mensagem espírita. Dr. Raymond Moody Jr. também teve seu prestígio confirmado e ao final expressou admiração pelos trabalhos que a Sociedade Espírita de Baltimore têm realizado.
A noite inesquecível foi coroada de êxito também pelo lançamento de dois novos livros (I love myself, I am addiction free; Happy Life) e 3 CDs (Living and Loving; I love myself, I am addiction free; Therapeuthic Visualization: Inner Journey) na língua inglesa produzidos pela colaboração entre a Sociedade Espírita de Baltimore e Divaldo Franco/Mansão do Caminho.
Certamente, este encontro de grande expressão foi uma marco histórico para o início de uma nova era na divulgação mundial do Espiritismo, em que se expandiu o diálogo da ciência espírita com a ciência material.

Fonte: www.jornaldosespiritos.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário e sugestões é sempre bem vindo. Fique na Paz !!!