06/05/2012

O mais importante


Foi há três anos. A ex-governadora do estado do Texas assistiu à mãe doente, até o seu estágio terminal.
Acompanhando-a dia a dia, observando como a doença ia minando as forças físicas e preparando aquele corpo para a morte, Ann Richards viu a drástica mudança que sua mãe sofreu.
Era uma mulher que passou sua vida inteira obcecada por cristais lapidados, baixelas de prata, toalhas de renda, porcelanas e jóias, que colecionava com extremo cuidado.
À medida que a doença foi destruindo o seu vigor físico e falando-lhe que a morte se aproximava, tudo aquilo deixou de ser importante. Para ela só importavam agora as visitas, a família e os amigos.
A mudança foi radical. Depois da morte da mãe, Ann Richards resolveu se livrar de todas as antigüidades que mais de uma vez tinham feito com que ela desse mais importância aos objetos do que às pessoas.
Montou um bazar na garagem. Ela mesma comentou que tinha uma quantidade enorme de antigüidades, que podia competir com Jaqueline Onassis.
Num só dia, tudo foi embora. Vendido. E a ex-governadora, conclui: "aprendi que, para dar valor ao presente, preciso me livrar daquilo que me detém. Hoje, não hesito diante de nada."
Nada é mais importante na vida do que as pessoas. As coisas têm o valor que lhes damos. E o valor muda com o tempo e as convenções sociais.
Em tempos antigos, o sal era tão precioso que se pagavam funcionários com ele. De onde, inclusive, surgiu a palavra salário.
Depois, os homens foram convencionando, no transcorrer do tempo a considerar este ou aquele metal mais precioso. De um modo geral, aquele mais raro naquele momento.
Hoje, a preocupação é ter carro do ano, tapetes importados, roupas de grife. E existem pessoas que fazem coleções de objetos, livros, selos, perfumes. O importante é amontoar, ter bastante para mostrar com orgulho, como se fossem troféus conseguidos à custa de grandes esforços.
No entanto, quando a enfermidade chega, quando a solidão machuca, nenhum objeto, por mais precioso, por mais que o prezemos, conseguirá espantar a doença, diminuir a solidão.
São as pessoas com seu carinho, sua ternura, seus gestos simples, traduzindo amizade, ternura, afeição que nos conferem forças para agüentar a dor e para espantar a solidão.
São as pessoas que nos dão calor com seu aperto de mão, seu abraço, sua presença, seu olhar.
São as pessoas que fazem a grande diferença em nossas vidas.
***
O afeto é como o sol. Surge silencioso e ilumina tudo com seus raios, espalhando luz e calor.
Ninguém pode viver sem afeto. Pode ser o amor de marido, de mulher, de um irmão.
O carinho de um amigo que se candidata a tutor da nossa vida afetiva. A ternura de alguém com que nos defrontamos na jornada das dores e que nos oferece as flores delicadas de sua atenção.
De tudo que há na terra para se gozar, nada faz mais feliz o homem do que o amor que receba, do amor que compartilhe, do amor que doe.

Fonte:
Seleções do Reader's Digest de junho/2000 – pág. 104


8 comentários:

  1. R & M, uma verdadeira lição de vida, aprendida infelizmente de um modo trágico. Adorei ler este texto, na verdade deve de ser por isso que eu amei tanto lê-lo, é que eu não dou valor a nada material, eu tenho as minhas coisas de que gosto, é claro, como todas as pessoas, mas só que com uma diferença, não sou apegada a elas, quando alguém me visita e gosta muito de algo meu eu dou, sabe porquê? porque as coisas servem só para isso mesmo, proporcionar alegria e bem estar e há coisa mais linda do que o sorriso de um amigo que leva consigo um pouquinho de mim?
    Votos de uma iluminada semana.
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ana Maria, pessoas como você sao sempre assim, repleta de brilhos luminosos e que passam muita a paz "

      Abraços!

      R&M

      Excluir
  2. Passei pra desejar uma maravilhosa semana.
    Tô super resfriada, agora vou tomar um chazinho de alho.

    Beijos sem o alho tá rsrsrsrsrsrsrs
    Andrea

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abdreía brigadinho pelo carinho e visita, ahhh e nós aceitamos os beijos sem o alho com ctz ... rsrs

      Abraços !
      R&M

      Excluir
  3. Um belíssimo texto e reflexão.
    Uma ótima semana para vocês.
    abração com carinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Kunti/Elza, um grande abraçoi pra você também !!!

      Receba nosso Carinho !!!

      R&M

      Excluir
  4. Adorei o Texto!!!!
    Eu faço Curso uma vez por semana, e ontem me lembrei de vcs.
    O que eu vou escrever agora foi o que aprendi.

    Nossa Maior Tarefa

    Amas, talvez, a muitos
    Que ainda não te entendem.

    Continua a serví-los
    Mesmo à longa distância.

    Não te encontras no mundo
    A fim de consertá-los.

    Nossa maior tarefa
    É a corrigenda em nós

    Se te ferem ou atacam
    Ora por todos eles

    Deus cuidará dos outros
    Como zela por nós

    EMMANUEL

    Beijos no coração
    Andrea

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andréa, o que nos mostrou que você aprendeu realmente não é tarefa fácil, mas com força de vontade todos nós um dia conseguiremos ...

      Receba nossa Carinho e Afeto !!!

      R&M

      Excluir

Seu comentário e sugestões é sempre bem vindo. Fique na Paz !!!