18/01/2012

O que é ... MEDIUNIDADE


Costumeiramente perguntam-nos sobre a mediunidade. Então:
Pergunta 459 de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec
\"Interferem os espíritos em nossos pensamentos, palavras e atos?\"
Resposta: \"Sim, mais do que supondes, mais do que imaginas. Influenciam a tal ponto que, muitas vezes, são eles que vos conduzem\".
\"Todo aquele que sente, em um grau qualquer, a influência dos espíritos é, por esse fato, médim. Isso não é privilégio de ninguém. Pode-se, pois, dizer que todos são mais ou menos médiuns; o que se pode discutir é como a mediunidade ocorre em cada um e o nível em que ocorre. Não se trata de dom ou de fardo, mas de uma sublime oportunidade de evoluir auxiliando o próximo\".
ALLAN KARDEC, O LIVRO DOS MÉDIUNS, CAP. 14.
\"Mediunidade não se desenvolve; se educa\". Herculano Pires (livro O Espírito e o Tempo).
 \"Todo indivíduo é médium\". Herculano Pires, livro O Centro Espírita.
 Segundo Emmanuel, \"Herculano Pires é o metro que melhor mediu Kardec\", livro Herculano Pires: O Homem no mundo
 \"Toda criatura humana é médium\". 
 Joanna de Ângelis (espírito), psicografia de Divaldo Franco. Livro: Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda.
\"A mediunidade é uma faculdade portadora de intrincados, sutis e complexos mecanismos, que têm muito a ver com o passado do medianeiro, bem como se relaciona com as suas possibilidades de serviço e de integração no programa de iluminação da própria e de outras consciências.
Porta estreita, invariavelmente é instrumento de auto-encontro e de crescimento moral-espiritual, uma ponte por onde transitam os Espíritos que permanecem vinculados àqueles que prosseguem reencarnados nas paragens terrenas\". 
(ESPÍRITO MANOEL PHILOMENO DE MIRANDA, página psicografada pelo médium Divaldo Pereira Franco, na noite de 2 de março de 2000, em Salvador, Bahia).
\"no variado caleidoscópio das faculdades mediúnicas, sempre serão encontradas expressões novas e pessoais que se apresentam conforme o grau evolutivo de cada criatura, os seus valores morais e intelectuais ao lado dos objetivos da sua existência corporal.
(ESPÍRITO VIANNA DE CARVALHO: 2004, pág. 7, Livro Médiuns e Mediunidades, psicografia de Divaldo Franco.
\"Assim, quando encontramos em um médium o cérebro povoado de conhecimentos adquiridos na sua vida atual e o seu Espírito rico de conhecimentos latentes, obtidos em vidas anteriores, de natureza a nos facilitarem as comunicações, dele de preferência nos servimos, porque com ele o fenômeno da comunicação se nos toma muito mais fácil do que com um médium de inteligência limitada e de escassos conhecimentos anteriormente adquiridos. Vamos fazer-nos compreensíveis por meio de algumas explicações claras e precisas. 
\"Com um médium, cuja inteligência atual, ou anterior, se ache desenvolvida, o nosso pensamento se comunica instantaneamente de Espírito a Espírito, por uma faculdade peculiar à essência mesma do Espírito. Nesse caso, encontramos no cérebro do médium os elementos próprios a dar ao nosso pensamento a vestidura da palavra que lhe corresponda \". 
ERASTO (ESPÍRITO), O LIVRO DOS MÉDIUNS, ALLAN KARDEC, cap. 19. 
\"Mediunidade Espírita é a que faculta o intercâmbio consciente, responsável, entre o mundo físico e o espiritual, facultando a sublimação das provas pela superação da dor e pela renúncia às paixões, ao mesmo tempo abrindo à criatura os horizontes luminosos para a libertação total, mediante o serviço aos companheiros do caminho humano, gerando amor com o instrumento da caridade redentora de que ninguém pode prescindir\".
Joanna de Ângelis (espírito) / psicografia de Divaldo Franco. Livro: Oferenda.
\"O exercício da mediunidade impõe disciplina, equilíbrio, perseverança e sintonia\". Joanna de Ângelis (espírito) / psicografia de Divaldo Franco. Livro: Oferenda.
\"O médium orador, cuja boca se enriquece de expressões sublimes, muitas vezes é um coração sensível ligado a compromissos e erros dos quais não se pôde libertar; o médium escrevente, por cujas mãos escorrem os pensamentos divinos compondo páginas consoladoras, quase sempre caminha sob sombras de angústias interiores sem forças para colocar a luz viva do Mestre na mente turbilhonada. O médium curador, que distende os recursos magnéticos da paz e da saúde, é, invariavelmente, alma em perigo entre as injunções de adversários impiedosos do mundo espiritual que lhe sitiam a casa íntima apedrejando-o com sofrimentos de todo jaez. O médium que enxerga através de percepção especial, na maioria das vezes, tem o olhos perturbados por visões cruéis que retraram seus dramas íntimos, fugindo de si mesmo, sem forças para continuar. 
Considera, assim, a mediunidade como meio de sublimação. Raros, somente raros médiuns trazem o superior mandato consigo. A quase totalidade, no entanto...\" 
Joanna de Ângelis (espírito) / psicografia de Divaldo Franco. Livro: Dimensões da Verdade.
\"Reveste a tua mediunidade com a vibração superior da prece, alicerçando-a no estudo, na sadia moral, e usando-a a serviço da edificação de quantos sofrem. Exercita-a com disciplina e estuda-lhe a metodologia com as luzes da Doutrina Espírita, compreendendo que ela te é concedida por misericórdia de acréscimo de Nosso Pai, a fim de que o homem não se esqueça de que sempre, na vida, edificante e enobrecido deve ser o seu comportamento, fora ou mergulhado na carne\". 

Joanna de Ângelis (espírito), psicografia de Divaldo Franco. Livro: Dimensões da Verdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário e sugestões é sempre bem vindo. Fique na Paz !!!